111 Os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável - ODS

(61) 2101-6095

(61) 2101-6609

07 de outubro de 2022

Mandala ODS da CNM é apresentada em evento virtual sobre a Agenda 2030

07102022 edu evento odsA Confederação Nacional de Municípios (CNM) participou, na tarde desta sexta-feira, 7 de outubro, do webinário Conquistando os ODS: Praticando o Check-Act na efetividade da implantação da Agenda 2030. Organizado pela prefeitura de Vitória da Conquista (BA), o evento fez parte da programação do Circuito Urbano 2022, uma iniciativa do Programa das Nações Unidas para os Assentamentos Humanos (ONU-Habitat) no Brasil.

Representando a entidade municipalista, o consultor Eduardo Stranz apresentou a ferramenta Mandala ODS, criada em 2016. “À época, a CNM foi chamada pelo PNUD [Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento] para ajudar na interiorização dos ODS no Brasil”, lembrou. Os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) integram a Agenda 2030, aprovada pelos 193 países membros das Nações Unidas para alavancar o desenvolvimento global e melhorar a qualidade de vida. São 17 ODS com 169 metas. Saiba mais aqui.

A Mandala ODS foi construída definindo-se uma série de indicadores que pudessem ser associados aos ODS. Ao apresentar a iniciativa aos gestores municipais, a CNM pontuou que não se tratava de nova atribuição. “Quando se chega ao gestor com mais uma tarefa, ele pensa na sobrecarga. Sempre tentamos mostrar que tudo o que o Município faz está relacionado aos ODS. Nada mais é que a atividade normal do poder público, que está vinculada aos ODS e à qualidade de vida”, avalia Stranz.

A ferramenta da CNM está estruturada em quatro quadrantes de níveis de indicadores (econômico-sustentável, social, ambiental e institucional). É um sistema de monitoramento, que mede o grau de desenvolvimento do Município, e que é disponibilizado aos gestores para ajudá-lo nas ações e no acompanhamento.

Sempre focada em entender a diversidade dos Municípios e a propor adequações à realidade local, um dos pontos principais considerados pela Confederação para construir a ferramenta foi agrupar as cidades. “Tivemos o cuidado de dividir os Municípios levando em conta o IDH de cada um, a renda per capita, entre outros fatores. Assim, quando “ele” se olha na ferramenta, vai ser comparado com Municípios mais próximos”, destacou Stranz. A proposta, portanto, foi não ter um parâmetro único nem comparar cidades com realidades completamente diferentes.

Conheça mais sobre a Mandala ODS aqui. E assista na íntegra o webinário com a participação da CNM:

Da Agência CNM de Notícias

 

Voltar